quinta-feira, 2 de setembro de 2010

@ CLUBES DO MUNDO


ESTUDIANTES-ARG
Nome Club:Estudiantes de La Plata
Alcunhas:Pincha, Pincharratas
Mascote: Leão
Fundação: 4 de Agosto de 1905 (105 anos)
Estádio:Ciudad de La Plata Jorge Luis Hirschi
Capacidade: 53.000

O Estudiantes de La Plata é um clube de esportes de La Plata, na Província de Buenos Aires, Argentina, com uma história de conquistas no futebol profissional.
É um dos mais tradicionais times do futebol sul-americano e mundial, tendo vencido 4 vezes a Taça Libertadores da América — o campeonato mais importante do continente — e uma vez o Mundial Interclubes, além de 4 campeonatos argentinos e uma Interamericana.
Os torcedores do Estudiantes de La Plata são chamados pincharratas e o clube de Pincha ou tricampeões, uma referência aos 3 títulos consecutivos da Taça Libertadores da América que a equipe conquistou. Originalmente o clube dedicava-se quase que exclusivamente ao futebol, todavia na atualidade a prática desportiva estendeu-se para outras atividades como o handebol, tênis, natação, golf, hockey e o basquete.
A Hegemonia Mundial
Em 15 de janeiro de 1965 firmou-se contrato com o técnico Osvaldo Zubeldía, com um único objetivo: distanciar o Estudiantes do risco de voltar a série B, que naqueles anos era seu companheiro inseparável. Não prometeu, senão, falar pouco, trabalhar muito, viver para o futebol 24 horas dos seus 7 dias da semana e dar exemplo sempre. Como não havia muito dinheiro foram contratados jogadores baratos (Carlos Bilardo, Enry Barale, Hugo Spadaro, Roberto Santiago, Marcos Conigliaro), unidos ao melhor do bom time de juniores vice-campeões nacionais em 1964 (Poletti, Aguirre Suárez, Malbernat, Manera, Pachamé, Echecopar, Eduardo Flores e Verón) assim estava desenhada a equipe que comoveu a historia do clube e do futebol argentino.
Em 1967 o Estudiantes conquistaria o Campeonato Metropolitano, dando início a uma sequência de feitos gloriosos. Foi o primeiro clube que não pertencia ao seleto grupo dos 5 maiores da argentina (Independiente, Racing, Boca Juniors, San Lorenzo, River Plate) a vencer um torneio oficial na era profissional. Nas semifinais a equipe de La Plata obteve uma virada incrível contra o Platense no campo do Boca; perdia por 3 a 1, tinha um homem a menos devido a lesão de Barale e conseguiu vencer por 4 a 3 com gols de Conigliaro, Verón, Bilardo de voleio e Madero de penalti. Tal conquista seria consolidada em 6 de agosto com uma vitória sobre, o atual campeão da Taça Libertadores, Racing Club por 3 x 0, com direito a um golaço de bicicleta de la bruja Véron.
Este Estudiantes cultuava a bola parada e a sistematização dos movimentos coletivos, cada jogada era ensaiada com obsessão. Marcado por inovações táticas, linha de impedimento como recurso, a organização, o detalhe, a catimba, escanteios fechados. Esta metodologia empregada por Zubeldía era revolucionária demais para uma época onde o futebol era invariavelmente ofensivo. Ele defendia a máxima: Defender primeiro, atacar, depois. Tal comportamento despertava a crítica de inúmeras pessoas, dentro e fora do futebol, Zubeldía defendia-se dizendo que atacava as certezas nunca comprovadas instaladas no imaginário popular. Certa vez ele falou: Dizem que nosso futebol é uma vergonha, que não deixamos o jogo acontecer, que perdíamos tempo; talvez tenham alguma razão, porém é preciso esclarecer as coisas. Isto é um negócio e a única coisa que importa é ganhar. Todavia, além dos progressos táticos e extra campo que esta equipe implementou estava também recheada de grandes valores; possuíam a qualidade de Alberto Poletti debaixo das traves, Eduardo Manera e Raúl Madero nas laterais, as idas e voltas de Bocha Flores e o talento diferenciado do ponta esquerda la Bruja Verón. Junte-se a isto a vitalidade dos defensores Ramón Aguirre Suárez e Oscar Malbernat, a inteligência de Pachamé, as arrancadas de Felipe Ribaudo, o oportunismo de Marcos Conigliaro e, sobretudo, a astucia de Carlos Bilardo que dentro do campo era o decodificador das mensagens de Zubelía e controlava o clima das partidas. Com todo este cúmulo de trabalho, futebol e astucias, o Estudiantes fez milagres, realizou façanhas e chegou a glória.
LEIA MAIS:http://pt.wikipedia.org/wiki/Club_Estudiantes_de_La_Plata

Títulos Intercontinentais
Mundial Interclubes: 1
(1968)
Copa Interamericana: 1
(1969)
Continentais
Copa Libertadores da América: 4
(1968, 1969, 1970, 2009)
Nacionais Campeonato Argentino: 4
(1967, 1982, 1983, 2006)
Campeonato Argentino 2ª Divisão: 3
(1911, 1954, 1995)

Um comentário:

Lucas disse...

ENTRA NO MEU BLOG HTTP://WWW.TIMESBRASIL.CO.CC

BLZ